Dietas da moda para emagrecer

Para emagrecer é necessário que se obtenha um balanço energético negativo, ou seja, uma diminuição da ingestão calórica e (ou) aumento do gasto energético, além disso, o papel dos macronutrientes (proteínas carboidratos e gorduras é essencial.

Um equilíbrio entre os macronutrientes deve ser buscado, tanto na quantidade como na qualidade.

Conheça algumas dietas da moda para emagrecer


Dietas com proteína, carboidrato e gordura

Dieta do mediterrâneo

Caracteriza-se pelo consumo de frutas, hortaliças (verduras e legumes), cereais, leguminosas (grão-de-bico, lentilha), oleaginosas (amêndoas, azeitonas, nozes), peixes, leite e derivados (iogurte, queijos), vinho, azeite de oliva e ervas de cheiro. Preconiza o baixo consumo de carnes vermelhas, gorduras de origem animal, produtos industrializados e doces.

Vigilantes do peso

Desde que respeitadas às quantidades estabelecidas e a proporção entre carboidratos, proteínas e gorduras não proíbe nenhum alimento. Permite combinar carnes, massas, doces e pães. As pessoas são estimuladas em reuniões e palestras.

Promete: perda mensal média de 4 kg a 6 kg.


Dietas pobres em carboidrato e ricas em proteína

As dietas pobres em carboidratos e ricas em proteínas podem ocasionar deficiências vitamínicas, alteração na função cognitiva, aumento nos níveis de colesterol ruim e uma série de outros problemas a saúde.

Podem ocorrer efeitos de longo prazo como osteoporose e progressão de insuficiência renal crônica.

Além disso, o potencial negativo dos carboidratos referente às dietas não está simplesmente relacionado com a ingestão de carboidratos, mas sim, ao tipo de carboidrato (simples ou complexo), à composição das refeições (proteínas e fibras) e ainda a outros estímulos como, por exemplo, a presença de gordura saturada.

Dieta do Dr. Atkins

Libera o consumo de proteínas e gorduras. Recomenda refeições ricas em carne vermelha, ovos, maionese e manteiga. Restringe a ingestão de carboidratos (arroz, batata e derivados de grãos, pão, macarrão etc.) e proíbe ingredientes à base de açúcar. A quantidade de carboidrato varia entre as fases da dieta. É pobre em vitaminas minerais e fibras.

Promete: uma rápida perda de peso, sendo um dos maiores estímulos para seguir a dieta.

Dieta de Scarsdale

Permite o consumo de carboidratos e gorduras, mas dá mais ênfase às proteínas. A dieta deve ser feita nas seguintes proporções: 43% de proteínas, 34,5% de carboidratos e 22,5% de lipídios.

Promete: perda de peso rápida.

Dieta de South Beach

Versão mais branda da dieta do Dr. Atkins. O consumo de gorduras monoinsaturadas (nozes, castanhas, azeite de oliva) é estimulado e admite o consumo moderado de carnes, queijos magros e frango sem pele. A partir da terceira semana, permite alguns tipos de frutas, leite desnatado, carboidratos complexos e vinho, com moderação.

Dieta da “USP”

Uma rígida combinação de alimentos deve ser seguida por duas semanas. O consumo de muita proteína e quase nenhum carboidrato é estimulado. Ovos, presunto, e café preto sem açúcar são os principais ingredientes.

Usa o nome da universidade indevidamente. A USP criou um serviço para orientar a população sobre os riscos da dieta.

Promete: redução de 1 kg por dia.


Dietas pobres em proteína e ricas em carboidrato

Os carboidratos são importantes para alimentar o cérebro, mas seu excesso faz com que o pâncreas libere insulina em demasia; portanto, o exagero resultará em ganho de gordura corporal, mas uma quantidade correta de carboidratos em uma refeição reforçará o equilíbrio necessário para o emagrecimento saudável.

Dieta da lua

Recomenda o consumo somente de líquidos por 24 h, nas mudanças na fase da lua. Os únicos alimentos permitidos são sucos e caldos.

Promete: perda de 1 kg por semana.

Dieta da sopa

Sopa de legumes batida no liquidificador. O repolho é o ingrediente principal da dieta. É o único alimento permitido durante uma semana nas três refeições.

Promete: emagrecimento de até 4 kg por semana.

Dieta Beverly Hills

É uma dieta rígida, proíbe misturar proteínas e carboidratos nas refeições, nos primeiros dez dias só são permitidas frutas. No 11º dia o consumo de carboidratos e manteiga é permitido, no 19º acrescenta as proteínas.

Promete: a queima de grandes quantidades de gordura por conta das enzimas.

Dieta do biotipo

Afirma que as pessoas são regidas por um órgão vital como pulmão, rins, fígado e coração. O participante deve responder um questionário sobre hábitos e comportamentos para descobrir seu tipo físico. Oferece cardápio especifico para cada biótipo.

Promete: perda mensal de 5 kg.

Dieta do tipo sanguíneo

Propõe uma alimentação específica para os portadores de cada tipo de sangue. Por exemplos: frutos do mar e espinafre para indivíduos com sangue tipo O; legumes e verduras para o tipo A; carne para o tipo B e leite para o tipo AB.

A pessoa atingirá o peso ideal submetendo-se a dieta. Não determina, contudo, a quantidade de quilos perdidos.

Não há evidencias cientificas de que esse tipo de dieta tem efeito na redução de peso em comparação a outros tipos de dietas hipocalóricas.

Dieta do Dr. Ornish

Dieta rica em frutas, vegetais e grãos integrais e isenta de alimentos de origem animal. Proíbe carne vermelha, frangos, peixes, azeite de oliva e derivados do leite.

Este tipo de dieta tem as mesmas características de uma dieta vegetariana, onde alimentos de origem animal são excluídos.

Comparando-se a dieta vegetariana com a dieta para perda de peso, verificou-se que as pessoas que seguiram a dieta vegetariana permaneceram com a dieta por mais de um ano, enquanto as pessoas que seguiram a dieta para perder peso permaneceram por pouco tempo, no máximo três meses.

A razão para o abandono da dieta para perda de peso foi à monotonia.

Segundo o estudo de Kennedy et al., pessoas que utilizam a dieta vegetariana ingerem menos energia e menos gordura total e saturada do que as pessoas que não são vegetarianas.

As dietas vegetarianas são mais propensas a serem deficientes em micronutrientes, principalmente vitaminas do complexo B, ferro e zinco e devem ser utilizadas com acompanhamento de um profissional, para o planejamento de cardápios que reduzam o risco de deficiência de vitaminas e minerais.

;